segunda-feira, 26 de outubro de 2009

A força da linguagem subjetiva.


Idle
Originally uploaded by Shah'91
“O que condena o homem são as palavras que saem de sua boca , não as que entram por seus ouvidos”.

Jesus a mais de 2000 mil anos atrás já era um mestre da linguagem subjetiva, praticamente todos os seus ensinamentos eram ministrados através de parábolas e metáforas.
A grande vantagem de usar linguagem subjetiva,era que, quem escutava seu sermão interpretava segundo sua própria concepção.
Quando Jesus queria passar uma mensagem específica, ele explicava depois, objetivamente o que ele havia dito.

Neste texto de Marcos, alguns religiosos estavam contrariados com os discípulos de Jesus, porque estes haviam se esquecido de lavar as mãos antes das refeições (hoje eu também ficaria brava com eles, com a gripe H1N1, e outras doenças soltas por ai...).
Jesus aproveitou o ensejo para romper alguns padrões de conduta que ambos possuíam na época ; tanto discípulos como os outros religiosos.

E disse: -“Nada há, fora do homem, que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai dele, isso é que contamina o homem”. Mc7:15
Ele falava de pensamentos maus (violência), inveja, blasfêmia, soberba, malícia em tudo, etc..
Na nossa caminhada de eternos alunos da vida, vamos acumulando conhecimentos e estes vão se adaptando a nossa forma particular de ver o mundo que nos rodeia.
Cognições são formadas, (pensamentos, raciocínios) a partir de outras cognições que já temos.

Um bonito exemplo é a árvore chamada Baobab, ela é muito comum em alguns países africanos. Si digo que, ela é uma árvore muito grossa, que é possível fazer uma casa dentro dela, você possivelmente terá uma idéia de esta árvore baseado no conhecimento de arvores que possui, certo?



three trees
Originally uploaded by _barb_


Para um africano, ela é muito mais que uma árvore, seus ancestrais mortos, vivem nela, ela esta coberta de vida e magia.
Nisto mora o poder da linguagem subjetiva, ela faz você colocar para fora seu pensamento, e o melhor, seu pensamento sai de maneira espontânea, sem que você perceba, que sua interpretação é só um lado da moeda, o seu lado da moeda.
Jesus sabia muito bem como usar suas palavras e descobrir quem eram as pessoas que estavam ao seu redor.

Para mim, esta metáfora da contaminação, traz um ensinamento pedagógico, acerca de reciclar a informação que recebemos de fora, nada que lemos, vemos, escutamos como adultos, pode nos prejudicar. O modo como assimilamos esta informação, é que faz toda a diferença, se a mensagem é de má qualidade e pode nos influenciar, jogamos no lixo do esquecimento, se ela é de boa qualidade absorvemos, e deixamos que ela tome espaço na nossa mente, formando novas cognições, novos pensamentos e novas aprendizagens.

Um comentário:

Adri Liah disse...

Oi Lucimara..
Primeiramente obrigada por ter me enviado o convite pra poder participar um pouquinho de seu blog.E que lindas e claras sao as palavras que voce postou. ninguem melhor pra postar mensagens tao verdadeiras que sò nos fazem crescer na vida cotidiana e espiritual tambem.
"Na parte que diz sobre os discipulos de Jesus se esquecerem de lavarem as maos" realmente damos conta que naquela època creio eu que nao existia tantas pestes e doenças que existem hoje, "eu tambem ficaria brava com eles. rs rs rs"..
Bom, no Post fala sobre a "força da linguagen" que muitas das vezes falamos para depois pensar e muitas vezes somos condenados por minimas coisas que podem machucar o ser humano que è nosso semelhante.
relato um pouquinho do texto que esta maravilhoso, afinal todos seus posts estao muito bem descritos e explicados, ja andei entrando nele outro dia sem sua permiçao.kkkkk (eu sou curiosaaa)rs rs. a partir de agora sou seguidora do blog. ..
Beijo Grande Lu ..
Ass: Adriane